Por que está sozinho?


Uma lanchonete de cadeia famosa abriu na cidade. Todos querem saber da novidade, para isso foram comer e divertir. Maurício é um desses e o único sozinho. Estranhamente ele ri sozinho, talvez ele tenha ganhado na loteria, mas não come gastando muito dinheiro. Ele só pediu uma porção de batata-frita há uma hora e meia. Ele diz pra si mesmo:
— Eu sou esperto, vou comer só o que preciso. Diferente do resto das pessoas eu tenho consciência.
Muitas pessoas desperdiçam comida pelo mundo afora, mas o local é de conversar e distração, não há desperdício, vê a alegria das pessoas. O elemento destoante se torna conhecido quando Maurício começa a falar cada vez mais alto:
— Essas mulheres são todas umas farsantes!
Pra aqueles que não ouviram, foi nada. Pra outros que ouviram, foi um murmúrio. Uma moça perto da mesa dele ri descontraída com os amigos, logo sua alegria é interrompida por uma frase solta.
— Esses marmanjos idiotas pagam qualquer coisa pra essas mulheres. Não sabem pra onde está indo o dinheiro e depois são transformados em chifrudos.  — e ainda ri. — Bem feito! He, he.
O incomodo ao lado já é percebido e ignorado. Todos só querem uma noite agradável, longe de qualquer porcaria. Os funcionários, mesmo os mais ocupados no trabalho, não deixaram de perceber, mesmo de relance, o que acontece no local, o boato de um cara falando sozinho se espalha. Maurício se transforma na atração da noite para garçons e cozinheiros, risadas são por sua causa e amenizam o duro trabalho.
Naturalmente, aqueles que estiveram próximos a Maurício foram embora, e um vazio se formou em torno dele, alguém que chega não fica perto de um maluco ou dos problemas do outro. Uma circunferência de mesas vazias está ao seu redor. Ele continua falando sozinho, mas em tom mais baixo, ninguém está ali para ouvi-lo, só tem os funcionários dando risadas.
— Já vamos fechar. — Diz um garçom a Maurício com um inconfundível sorriso.
O tempo passara e ele se percebeu sozinho. Não importa o que foi feito, não precisa de perdão. Ir embora, não ter vergonha. É isso que ele faz, não olhando pra algum reflexo dele próprio. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não escreve, não sei sobre você, escreva!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...