Agradar a quem

Antônio acabou de ser contratado por uma firma de contabilidade. Ele, novo, só com vinte e dois anos entrou no meio de raposas velhas com o dobro de sua idade. Logo ele ficou conhecido por “garoto”, como qualquer garoto, ele queria mostrar esperteza, imitando os adultos ao redor dele, mas não conseguiu livrar-se da indiferença.
Uma semana antes de seu aniversário, Antônio decide fazer um churrasco e convidar seus colegas de escritório. Talvez algum mal-entendido tenha atrapalhado o inicio do relacionamento laboral que Antônio não se lembra. Nesse churrasco seria um recomeço, numa mágica os homens enxergariam outro homem como eles, não um moleque mal-criado.
No dia do churrasco, um final de semana qualquer, comemoração do aniversário de Antônio, ele acomodou os amigos do escritório mais perto das carnes, de modo que melhores peças de carne vinham para eles antes de todo o resto dos convidados. Os familiares aturaram o barulho dos convidados extras, todos bêbados; Antônio, um membro da família precisava de apoio, só não sabiam de quanto. O irmão de Antônio falou-lhe:
— Mano, eu vou embora daqui, não dá mais para ficar.
— Por quê? A festa nem bem começou, fique mais um pouco.
— Porque eu, aliás, nós não suportamos mais esses seus amigos, eles são abusados, isso não é uma festa familiar, é a festa deles, só deles.
O irmão de Antonio tinha razão, os convidados bêbados chamavam o garoto deles tempo para servir bebidas tirando a razão da festa. Eles diziam “ô garoto” e Antônio corria em direção a eles como um garçom. Ao comando deles a comida, bebida, música saía ao gosto de quem não era parente. A mãe de Antônio foi compreensiva com o filho, sabia que era o primeiro emprego do filho e não queria perdê-lo.
De volta ao trabalho, o garoto tornou-se Antônio, o homem prestativo de uma festa que podia ter sido melhor. Antônio ficou sem entender, um disse que a cerveja estava quente demais, outro disse que havia muito barulho, outro disse ainda que não fosse um bom dia pra festas... Desculpas corriam em direção novo homem do escritório que não teria preparado uma festa decente. Antônio não se agradou na sua festa e não agradou ninguém. Naquela dias posteriores ele viu um filme que um personagem disse que todo homem deve escolher seu patrão, agora Antônio sabia disso tardiamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você não escreve, não sei sobre você, escreva!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...