O pegador de gripe

            Leko gosta de ser como qualquer outro da sua idade, mas também quer mostrar diferença sendo o mais homem possível. Em toda festa que vai, tenta “pegar” todas as mulheres. Em uma micareta ele tentaria quebrar um recorde pessoal de beijos. Devidamente uniformizado com o abadá do bloco, Leko vai à caça sozinho. Logo vê uma linda morena, cabelos negros, lisos e compridos, corpo sarado de academia com uma linda boca pra ser beijada por ele. Ela segurava quatro latinhas com as duas mãos e estava andando no sentido oposto ao dele. Era muita sorte, satisfaria plenamente seus desejos. Ele chega, tasca um beijo (chupada) e diz:
            — Só depende de você — disse isso, segurando o braço dela pra sentir a emoção do momento. —, o mundo gira e você pode ser mais feliz, se decidir pelo certo. Só depende de você...
            —Ei o que é isso — perguntou uma voz.
            Leko nem ligou, pois o momento da conquista era importante, a garota não ligava, aliás, tentava desvencilhar dele:
            — Larga-me, seu estúpido. — dizia ela.
            Uma mão forte o tocou no ombro, afastando-o da moça, aí ele percebeu três homens, seis vezes ele; três homens com jeito de halterofilistas, encarando-o como quisessem uma resposta, a moça falou:
            — Amor, ele me assediou, eu estava voltando com as latas quando ele me beijou usando a força! É um tarado! — disse a moça correndo em direção a um dos rapazes.
            — Isso é verdade? Você tem noção do que faz? Mexendo com a namorada dos outros é você que se f***! — disse quem seria o namorado.
            Leko sob olhar atento e expressões sérias dos rapazes, aparentemente não se intimidou, encheu o peito de ar, levantou o queixo e disse:
            — Vocês só têm tamanho! Você é um otário deixando essa gostosa por ai, para um cara esperto como eu aproveite. Você é um mole, não me impressiona!     
— O que é isso? —pergunta outro.
— Está querendo uma surra? — pergunta o namorado enfurecido.
— Tente me bater, se é homem. — disse Leko.
Nesse momento, pega uma pedra, joga em direção aos rapazes e corre em disparada dizendo:
— Vocês não são homens, vem me pegar bando de otários!
Daí começa uma corrida louca, todos vêem e percebem os motivos pelas frases que os envolvidos dizem enquanto correm. As pessoas na micareta percebem a distância a confusão e abrem corredores para o espetáculo: um gato de rua fugindo de três pitbulls. Os três halterofilistas parecem que não fizeram um treinamento cardiovascular adequado, pois se cansam enquanto Leko mantém a disposição por causa da característica de maratonista ou por causa do puro medo. Leko percebendo isso diz:
— Vocês não são homens, bando de covardes, frangotes!Vem me pegar! — disse isso sorrindo.
Eles estavam distantes do bloco, assim ninguém desmentiria Leko sobre o que aconteceu depois da corrida e ele nunca falaria sobre aquilo, pois somente contaria sobre as suas vitórias.

2 comentários:

  1. Saber perder e reconhecer não é para qualquer um.

    Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. legal o blog.....
    parabéns...
    tô seguindo tmb....

    http://som-do-meu-pensamento.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Se você não escreve, não sei sobre você, escreva!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...